quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

A CAMINHO PARA...



A Legalização do Balão Junino


Brasília 6 de dezembro de 2016. 

Recebi hoje no Senado a visita do presidente da Associação Brasileira dos Artistas do Papel, Marcos Real, e diretor - jurídico, Paulo Moreira, e o representante da Associação Somos Arte Papel e Cola, Egbert Schlogel - entidades que representam baloeiros dos estados do Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. Eles me presentearam com o belo livro “Balão. O Peregrino do Tempo” de Humberto Pinto, ex-presidente da Associação Amigos do Balão. Os baloeiros reivindicam a regulamentação desta atividade no Brasil, dentro de regras específicas, como o uso de balão ecológico (sem fogo) e exclusivamente em festivais, para garantir a segurança desta cultura popular. Como relator do Novo Código Brasileiro de Aeronáutica, pretendo estudar formas de preservar esta tradição dentro de padrões seguros para a aviação, os baloeiros e a população. Também neste encontro, Georges Ferreira, professor de Direito Aeronáutico e representante da Confederação de Aerodesporto Brasileiro.


































Humberto Pinto Cel

















segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O DESESPERO ATORMENTA



Os Políticos Que Negam o Balão Junino



Manifestantes protestam contra a corrupção, em apoio ao juiz Sérgio Moro e
 à operação Lava Jato, em Curitiba (Vagner Rosário/VEJA.com)


"Senador critica manifestantes: ‘Mentecaptos manipuláveis’

Relator do projeto de abuso de autoridade no Senado, Roberto Requião (PMDB-PR), usou o Twitter para disparar contra os atos e a Lava Jato



  


O senador chamou os participantes dos atos de “mentecaptos manipuláveis” e os integrantes da força-tarefa da Lava Jato de “fundamentalistas e paladinos”. Nos últimos dias, membros do Judiciário e do Ministério Público têm atacado o projeto de abuso de autoridade por o verem como uma tentativa de intimidar as investigações".

        18 anos após a vigência do Art. 42 da lei 9605 de 12 de fevereiro de 1998, que criminalizou o balão junino, o povo brasileiro, dono do poder, está extirpando do poder político os autores dessa infâmia.



        Humberto Pinto Cel



sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

FIM DE UM CICLO





Digno de Destaque







Na ficção...






Na vida real...


"Desculpe, a Odebrecht errou

A Odebrecht reconhece que participou de práticas impróprias em sua atividade empresarial.
Não importa se cedemos a pressões externas. Tampouco se há vícios que precisam ser combatidos ou corrigidos no relacionamento entre empresas privadas e o setor público.
O que mais importa é que reconhecemos nosso envolvimento, fomos coniventes com tais práticas e não as combatemos como deveríamos.
Foi um grande erro, uma violação dos nossos próprios princípios, uma agressão a valores consagrados de honestidade e ética.
Não admitiremos que isso se repita.
Por isso, a Odebrecht pede desculpas, inclusive por não ter tomado antes esta iniciativa.
Com a capacidade de gestão e entrega da Odebrecht, reconhecida pelos clientes, a competência e comprometimento dos nossos profissionais e a qualidade dos nossos produtos e serviços, definitivamente, não precisávamos ter cometido esses desvios.
A Odebrecht aprendeu várias lições com os seus erros. E está evoluindo.
Estamos comprometidos, por convicção, a virar essa página.
Compromisso com o futuro

O Compromisso Odebrecht para uma atuação Ética, Íntegra e Transparente já está em vigor e será praticado de forma natural, convicta, responsável e irrestrita em todas as empresas da Odebrecht, sem exceções nem flexibilizações.
Não seremos complacentes.
Este Compromisso é uma demonstração da nossa determinação de mudança:
1.   Combater e não tolerar a corrupção em quaisquer de suas formas, inclusive extorsão e suborno.
2.   Dizer não, com firmeza e determinação, a oportunidades de negócio que conflitem com este Compromisso.
3.   Adotar princípios éticos, íntegros e transparentes no relacionamento com agentes públicos e privados.
4.   Jamais invocar condições culturais ou usuais do mercado como justificativa para ações indevidas.
5.   Assegurar transparência nas informações sobre a Odebrecht, que devem ser precisas, abrangentes e acessíveis, e divulgadas de forma regular.
6.   Ter consciência de que desvios de conduta, sejam por ação, omissão ou complacência, agridem a sociedade, ferem as leis e destroem a imagem e a reputação de toda a Odebrecht.
7.   Garantir na Odebrecht e em toda a cadeia de valor dos Negócios a prática do Sistema de Conformidade, sempre atualizado com as melhores referências.
8.   Contribuir individual e coletivamente para mudanças necessárias nos mercados e nos ambientes onde possa haver indução a desvios de conduta.
9.   Incorporar nos Programas de Ação dos Integrantes avaliação de desempenho no cumprimento do Sistema de Conformidade.
10.       Ter convicção de que este Compromisso nos manterá no rumo da Sobrevivência, do Crescimento e da Perpetuidade.
A sociedade quer elevar a qualidade das relações entre o poder público e as empresas privadas.
Nós queremos participar dessa ação, junto com outros setores, e mudar as práticas até então vigentes na relação público-privada, que são de conhecimento generalizado.
Apoiamos os que defendem mudanças estruturantes que levem governos e empresas a seguir, rigorosamente, padrões éticos e democráticos.
É o nosso Compromisso com o futuro.
É o caminho que escolhemos para voltar a merecer a sua confiança".



        Humberto Pinto Cel

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

ALÉM DO UNIVERSO




A Metafísica...






        O homem e a mulher... De corpo e alma... 

        No vazio, provoca a mente, a ferramenta da alma e, no ócio, encontra na arte a seiva para alimentar a alma.









        Humberto Pinto Cel




terça-feira, 29 de novembro de 2016

TRISTEZA!




De DEUS, Para Os Filhos


Luto 


VEJA 1


VEJA 2


        PÊSAMES!

        

        Humberto Pinto Cel



sábado, 19 de novembro de 2016

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

TRISTE FIM...




... Dos Políticos Detratores do Balão Junino


        A partir da ECO92, em conluio, articularam macular a Festa Junina e retirar do belo ritual a alegre prática da soltura dos balões juninos. E, em 1998, na ação torpe de poucos, incorporaram na chamada Lei do Meio Ambiente um arranjo de palavras para incriminar o balão junino, subvertendo a função do Estado, o ente capaz de proteger a cultura.

Art. 42 da lei 9.605 de 12 de fevereiro de 1998: 

Fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou qualquer tipo de assentamento humano:
Pena - detenção de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.

       Mas, a violência não prospera na virtude e a proibição é estéril. E os detratores, pela depravação de todos os males, são cobrados pelo que propagam.



VIVA O BALÃO JUNINO!





        Humberto Pinto Cel